Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, no Catete, convida o público para roda de conversa e show gratuitos com mestras do primeiro grupo de Carimbó formado só por mulheres no Pará no próximo dia 13 de setembro

Evento comemora os cincos anos do gênero como Patrimônio Cultural do Brasil

Instrumentos do Carimbo.jpg

No dia 11 de setembro de 2014 o Carimbó foi declarado Patrimônio Cultural do Brasil. No Rio, os cinco anos deste importante registro será comemorado em grande estilo no dia 13 de setembro (sexta-feira) no Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (CNFCP-Iphan), o Museu de Folclore Edison Carneiro. O museu do Catete vai receber o público para um show e roda de conversa gratuitos com duas grandes mestras do Carimbó vindas do Pará especialmente para a ocasião: Claudete Barroso e Raimunda Carvalho (mais conhecida como Mestra Bigica) são integrantes do grupo paraense Sereia do Mar, o primeiro do Brasil formado só por mulheres. O evento começa com o bate-papo às 16h e segue com um show aberto ao público.

O evento é uma edição do projeto Um dedo de prosa, que tem o objetivo de promover debates sobre temas no campo das culturas populares. Desta vez, como parte da exposição “Pau, corda, cores e (re) invenções: instrumentos e artesanatos do Carimbó”, em cartaz na Sala do Artista Popular, no Museu de Folclore Edison Carneiro, o bate-papo, mediado pela chefe do Setor de Pesquisa do CNFCP-Iphan, Elizabeth Costa, vai contar um pouco das história das mestres do Carimbó.

O grupo Sereia do Mar, fundado há mais de 20 anos na zona rural de Marapanim, no Pará, e que tem a mestra Bigica como uma de suas fundadoras, é muito importante na cena do Carimbó, sendo composto e articulado por mulheres que cantam, tocam e dançam. Elas vêm protagonizando uma discussão fundamental sobre a importância das mulheres nessa manifestação e nas culturas populares de modo geral. Formado por agricultoras familiares, o grupo das mulheres desafia o padrão dominante e revela as mudanças que estão ocorrendo no universo do Carimbó, com uma crescente participação e protagonismo feminino não apenas nas rodas de dança, mas também nos conjuntos musicais e nas funções de criaç&atil de;o artística. Uma nova abordagem que mostra o olhar da mulher e sua sensibilidade para as coisas ao seu redor, matéria prima das composições do Sereia do Mar.

Ao fim da conversa, as mestras realizarão uma roda de Carimbó com a participação de Silvan Galvão, mestre de carimbó do Oeste do Pará, que, através do grupo Carimbloco, criado e conduzido por ele, tem difundido a cultura popular paraense no Rio de Janeiro.

Serviço
Um dedo de prosa – roda de conversa com mestras do Carimbó e Roda de Carimbó

Dias e horário – 13 de setembro, das 16h às 19h
16h – Um dedo de prosa – roda de conversa com as mestras paraenses do Carimbó Claudete Barroso e Raimunda Carvalho e o mestre Silvan Galvão e seu grupo Carimblobo

17h – Show de Carimbó – com as mestras paraenses Claudete Barroso e Raimunda Carvalho e o mestre Silvan Galvão e seu grupo Carimbloco

Local
Sala Multimídia do Museu de Folclore Edison Carneiro

Endereço:
Rua do Catete, 179, Catete, Rio de Janeiro/RJ
Entrada franca, sujeita à lotação do espaço